Voltar

Uso do Whatsapp em um grupo de adolescentes com diabetes mellitus tipo 1

Autor(es) Fernanda Figueredo Chaves
CARVALHO TORRES
Ketlen Marques Abdala
Coordenação de mesa
Macrotema Educação e Tecnologias
Artigo (Visualizar) (Download)
Local [fórum dia todo]
Horário 06/06/2017 - O dia todo
Link para Acesso (ACESSO A ESTE FÓRUM)
Resumo

Analisar o uso do WhatsApp em um grupo de adolescentes com diabetes Mellitus tipo 1. Foram selecionados 10 adolescentes, de ambos os sexos, com idade entre 12 e 19 anos, com diagnóstico de diabetes Mellitus tipo 1 em seguimento ambulatorial em Belo Horizonte, Minas Gerais, no ano de 2017. Um moderador e dois observadores se revezavam durante os 30 dias, modulando as conversas com os adolescentes. A opinião e as expectativas dos participantes foram consideradas frente à utilização deste meio dinâmico e atual de comunicação no mundo virtual. Os assuntos mais comuns foram: alimentação (64 postagens), controle glicêmico (71 postagens), insulinoterapia (64 postagens), atividade física (18 postagens), sentimentos (164 postagens), contagem de carboidratos (38 postagens) e hobbis (450 postagens). O whatsApp oferece o potencial para superar barreiras tradicionais de distância, tempo e custo, favorecendo o diálogo, a sociabilidade e a interação por meio do compartilhamento de imagens, vídeos, gifs e mensagens. Nota-se também, a facilidade na análise dos dados, pois não foi preciso realizar a transcrição das falas, pois o aplicativo tem a praticidade de dar o histórico das conversas. Observa-se a importância em se adequar a linguagem na realidade dos adolescentes, de forma que seja compreensível e muitas vezes informal, com o uso de gírias. Portanto, este estudo estabelece as bases para inovações de melhoria da qualidade das práticas educativas em diabetes Mellitus tipo 1 através da tecnologia em saúde.

Palavras-chave

Adolescente; Diabetes Mellitus tipo 1; WhatsApp; Aplicativos Móveis

Currículos
Fernanda Figueredo Chaves

raduada em Enfermagem, especialista em Saúde Coletiva com ênfase em Saúde da Família pela Universidade Federal de Minas Gerais (2012); mestre em Enfermagem, linha de pesquisa: Educação em Saúde e doutoranda pela Escola de Enfermagem da Universidade Federal de Minas Gerais (2016). Têm experiência em Programas Educativos em Saúde, Docência em Enfermagem, Pesquisa Clínica, Bloco Cirúrgico, Auditoria, Centro de Terapia Intensiva (CTI), Clínica Médica e Educação Continuada. Atualmente participa do Núcleo de Pesquisa Gestão, Educação e Avaliação em Saúde (NUGEAS) atuando na Avaliação de Programas Educativos em Saúde, na Tradução, Adaptação e Validação de instrumentos e no desenvolvimento de Aplicativos para o autocuidado em Condições Crônicas.

CARVALHO TORRES

Currículo não fornecido.
(se você é CARVALHO TORRES, utilize o canto dos palestrantes para informar o seu currículo.

Ketlen Marques Abdala

Currículo não fornecido.
(se você é Ketlen Marques Abdala, utilize o canto dos palestrantes para informar o seu currículo.