Voltar

Túmulos virtuais: leitura bakhtiniana da morte no ciberespaço

Autor(es) Diego Pinto de Sousa
Coordenação de mesa
Macrotema Comunidades Virtuais
Artigo (Visualizar) (Download)
Local [fórum dia todo]
Horário 05/06/2017 - O dia todo
Link para Acesso (ACESSO A ESTE FÓRUM)
Resumo

A alegoria da navegabilidade para perfis de redes sociais de pessoas falecidas pode ser, introdutoriamente, concebida como uma materialidade cibernética de corpos à deriva em rotas difusas e imprecisas. Aqui conceituado como túmulo virtual, o fenômeno da preservação destes perfis no ciberespaço constitui a região e escopo temático. Objetiva-se problematizar como os enunciados presentes em um túmulo virtual (G.) apontam para a dialogicidade das relações sociais e da linguagem e como estas manifestações discursivas traduzem a confluência de temporalidades num espaço (virtual/real). A teoria dialógica do Círculo e de Bakhtin, em destaque seu conceitos de cronotopo e exotopia, servirão como plataforma analítica.

Palavras-chave

Túmulos virtuais; Exotopia; Cronotopo.

Currículos
Diego Pinto de Sousa

Mestre em Estudos de Linguagem pela UFMT.